Causas da Ansiedade

Causas da Ansiedade

Estudo, trabalho, trânsito, compromissos, atrasos, prazos, metas, desafios, competições etc. etc. etc. A ansiedade está presente no dia a dia de todos, e entender as verdadeiras causas nos possibilita lidar melhor com elas.

A ansiedade não é de todo ruim. Ela nos mostra que estamos fazendo coisas novas e/ou diferentes da rotina. Porém, é comum criarmos em nossa mente uma imagem ideal do resultado que queremos e alimentarmos em excesso essa imagem para satisfazer os nossos desejos mais profundos. E são esses desejos as verdadeiras causas da ansiedade.

Muitas vezes nos equivocamos ao pensar que a causa da ansiedade está no excesso de trabalho, na iminente presença de um evento ou pessoa muito importante, nos resultados que esperamos ao realizar uma prova ou ao nos esforçarmos para o cumprimento de metas.

É comum desenvolvermos o hábito nada saudável de terceirizar a responsabilidade dos nossos sentimentos e da nossa felicidade. Mas somos nós quem atribuímos valores e expectativas em excesso a situações e pessoas. Então, os responsáveis pela forma como nos sentimos somos nós e não o chefe, o namorado, a esposa, a amiga. Somos nós.

Entendendo as causas, tudo muda. Algumas das causas da ansiedade estão:

  • No nosso medo do que irão pensar de nós (julgamento alheio)
  • Na nossa impaciência no trânsito, e não no motorista à frente que também quer chegar no seu destino
  • No nosso mau hábito de atrasar para os compromissos (que tem outras causas por trás)
  • Na autocobrança e necessidade de sermos reconhecidos, para mostrar a nós mesmos ou a outra pessoa que somos bons naquilo ou capazes de passar numa prova ou atingir uma meta
  • Na nossa carência e padrão de rejeição
  • Na dificuldade que temos de aproveitar e agradecer pelo momento presente

Ao nos aprofundarmos cada vez mais, perguntando “Por quê?” a isso tudo, descobriremos a causa da nossa ansiedade. Nesse instante, quando nossos desejos mais profundos são confrontados, nosso inconsciente pode pensar “fui descoberto e estou vulnerável”. Pois há mecanismos em nossa mente que tendem a velar a causa real das nossas frustrações e a negá-la, para não perdermos a nossa identidade, ou prejudicarmos a nossa imagem externa arduamente forjada.

Mas, depois de descoberta a causa, a negação não ajudará a solucionar o problema. Podemos lidar com a raiz do problema e atuarmos para sermos pessoas melhores, mais tranquilas, sem estresse. Ou então podemos nos autossabotar e “empurrar com a barriga” o nosso sofrimento pelo tempo necessário até o momento em que estivermos dispostos a enfrentar a causa.

E, ao descobrirmos a origem dos anseios e frustrações, não precisamos nos culpar, pois a culpa também é uma forma de sabotagem que nos impede de resolver o problema. Somente conseguiremos atenuar a causa da ansiedade e trabalhar nela quando a aceitarmos e a reconhecermos como sendo parte de nós naquele instante. Simples assim.

São 3 os fatores que destaco como principais a serem analisados para nossa ansiedade e frustração:

  1. Quando queremos corresponder às expectativas dos outros
  2. Quando queremos que os outros correspondam às nossas expectativas
  3. Quando queremos corresponder às nossas próprias expectativas (há uma linha tênue que separa este fator do primeiro. Reflita.)

Há diversas ferramentas que podem te auxiliar nesse processo de superação, que são muito saudáveis e todas se complementam para um melhor resultado. Algumas delas:

  • Florais. Há florais ótimos para auxiliar a reduzir os sintomas da ansiedade. São naturais e não há contraindicação. Basta seguir a orientação de um Terapeuta;
  • Meditar. Acalma a mente e o corpo; coloca os pensamentos de lado;
  • Atividade física. Cuida do corpo. Faça a atividade física que mais lhe agrada. Pode ser até uma caminhada no quarteirão.
  • Focar no Agora. Desenvolva hábitos e rotinas que proporcionem alegria e bem estar. Foque no momento presente. Deixe de lado o passado e o futuro por alguns instantes. Treine isso.
  • Terapia Reiki. Para trabalhar a sua energia, relaxar a mente e o corpo, reconectando-o com o Agora.
  • Exercício do Espelho. Técnica do livro “Você Pode Curar sua Vida” (Louise L. Hay). Olhe-se no espelho diariamente e diga afirmações positivas, conforme o seu caso específico:
    • Sim, eu reconheço a minha ansiedade que vem do medo do que podem falar de mim;
    • Sim, eu reconheço a minha ansiedade que vem do medo de não corresponder às expectativas dos meus pais / dos meus filhos / colegas / amigos / chefe / eu mesmo(a);
    • Sim, eu reconheço a minha ansiedade que vem do meu padrão de fuga dos problemas, tentando assumir muitos outros compromissos que distraiam a minha mente dos meus problemas principais (relacionamento, trabalho, realização profissional etc.);
    • Eu libero [citar a causa] que promove ansiedade em mim;
    • Eu me aceito, me amo e me aprovo;

Acima de tudo, buscar uma vida alegre e de partilha de bons sentimentos fará você sentir-se a pessoa especial que você é! A vida existe para ser vivida bem. E a escolha de como vivê-la não pode ser terceirizada. Será sempre sua.

Namastê!
Fernando Vidya

“De todos os conhecimentos possíveis, o mais sábio e útil é o conhecer a si mesmo”
(William Shakespeare)

Comentários

comentários

Fernando Vidya

Terapias Complementares para equilíbrio do corpo, da mente e do espírito.

Deixe uma resposta