Desfazendo Magia

Desfazendo Magia
Desfazendo Magia

Trabalhos de magia são uma das causas mais graves para se criar um carma bastante nocivo para a alma de muitas pessoas que os realizam.

Magos do passado que se envolveram com magia negra passam hoje por provas e expiações muito grandes e dolorosas em razão de terem se aventurado em práticas reprováveis, seja para prejudicar alguém gratuitamente ou para lucrar com suas demandas.

Fato é que ainda hoje muita gente não aprendeu que magia é coisa séria e há muitos bruxos e bruxas, feiticeiros e feiticeiras que ainda não compreenderam a importância de analisarem o mal que podem estar causando à própria alma ao adentrarem no universo da magia negra.

Aliás, especialmente com a ascensão da saga Harry Potter, além de outros filmes e séries sobre magias e feitiços, entrou na moda que é super legal ser uma bruxinha ou bruxinho, estimulando até mesmo crianças, adolescentes, jovens e adultos a praticarem magias consideradas “inocentes”, porém, cujos efeitos podem ser bem mais danosos para a própria vida, podendo atrapalhar muito a jornada evolutiva dos envolvidos.

Algumas pessoas ainda desconhecem totalmente os efeitos nocivos de suas inocentes simpatias para ganhar dinheiro, para arrumar marido, para fazer o vizinho se mudar de casa, para conquistar o namorado, para se vingar de alguém, e outras finalidades escusas e que nem compensa citar.

Dependendo da complexidade da magia, desfazê-la pode envolver maior conhecimento de como neutralizar seus efeitos e dissipá-los totalmente, além de muitas vezes ser necessário realizar o encaminhamento de entidades e artefatos astrais que podem estar associados ao ritual magístico.

Sem o conhecimento devido de como atuar em segurança nesse campo tão delicado e perigoso, o desfazedor do feitiço que não tem o devido conhecimento de como proceder, pode ficar impregnado com as energias da magia com a qual entrou em contato.

As magias nocivas mais “comuns” foram criadas para atender desejos egoístas e mesquinhos de pessoas ainda perdidas em sua própria obsessão, devido à ausência de maturidade e de domínio mental e emocional, além da ausência de bases e preceitos espirituais e morais sólidos.

Seguem algumas das magias negras mais corriqueiras:

  • Magia de amarração (para o “amor”)
  • Magia de separação (para o “amor”)
  • Magia de destruição (para lares, relacionamentos, carreira e até mesmo saúde, dentre outros propósitos verdadeiramente perversos)
  • Magia de azaração
  • Votos e pactos com entidades astrais para a concessão de favores (o magista, bruxo ou feiticeiro muitas vezes equivoca-se e acredita que não haverá penalidade cármica por esse tipo de concessão e nem mesmo de criação e fortalecimento de vínculo cármico com a entidade evocada)
  • Dentre outros diversos

Desfazer essas energias e programações magísticas envolve tempo, conhecimento sobre a parte energética e um apoio espiritual bastante grande. Alguns desfazimentos são mais simples e rápidos e outros mais complexos e demorados.

Há casos em que o responsável pela magia negra está tão obcecado com o seu objetivo que age de forma recorrente na elaboração de trabalhos dos mais diversos para pessoas por quem nutre algum ressentimento ou mágoa.

Porém, além de prejudicar a sua vítima, deteriora energeticamente a sua própria condição espiritual, entrelaçando a própria alma com as forças astrais envolvidas, ficando preso ao próprio anzol que utilizou para tentar fisgar o peixe, prejudicando o seu próprio desenvolvimento e evolução espiritual, amarrando os próprios pés a uma âncora que apenas o mantém no mais denso padrão vibracional astral.

Arquepadia

Existem ainda magias muito antigas, denominadas arquepadias, feitas em um passado muito distante e que ainda continuam ativas, a exemplo das magias egípcias. Lidar com magias antigas exige conhecimento e experiência para desfazê-las, já que não é à toa que ainda continuam reverberando.

Algumas arquepadias nós mesmos quem fizemos ou mandamos fazer no passado de outras vidas. Se essas magias não forem desfeitas, podem reverberar para a vida atual conexões nocivas com padrões de pensamento, comportamento desarmoniosos e ainda continuar atraindo para a nossa vida infortúnios diversos, talvez os mesmos com os quais nos envolvemos no passado de outras vidas. Não deixa de ser o nosso próprio carma batendo à porta para ser resolvido.

Quem deseja seguir um caminho evolutivo realmente seguro não emprega esforços e energias para prejudicar ninguém, mas sim faz o bem para plantar e colher o bem, respeitando sempre a individualidade e o livre-arbítrio alheio.

Portanto, muito cuidado!

Pense inúmeras vezes antes de se aventurar por magias, simpatias e outros tipos de manipulação energética. Do contrário, precisará de ajuda de pessoas que conhecem como desfazer tais energias e rituais.

Algumas opções para se libertar desse tipo de efeitos nocivos são:

  • Em alguns casos mais simples, um bom banho de sal grosso e de ervas pode resolver (veja como neste meu artigo O Poder do Banho de Ervas);
  • Em outros, uma meditação bem conduzida com decretos, como a de limpeza dos 21 dias do Arcanjo Miguel, pode ser forte o suficiente para se libertar de casos um pouco mais intensos, desta e de outras vidas, e outros mais graves;
  • Em outros casos, muito mais delicados, complexos e perigosos, pode ser necessário um tratamento específico de quebra de magia oferecido por grupos espiritualistas e centros espirituais, ou ainda por curadores especializados.

Eu, Fernando Vidya, trabalho, por exemplo, com desfazimento de energias astrais nocivas diversas através da limpeza e harmonização energética com a MRA (Mesa Radiônica Apométrica), ferramenta que canalizei e falo a respeito em um dos meus artigos disponível aqui neste site, para atender as mais diversas necessidades energéticas e espirituais do nosso novo ciclo (Era de Aquário), capaz de atuar fortemente no astral e resolver desde as mais simples e corriqueiras questões como ainda atuar imergindo no mais profundo aspecto do passado de outras vidas e do inconsciente.

Há casos, porém, muito mais complexos, envolvendo reincidências e obsessão complexa, onde é necessário que a vítima não apenas se alie a uma egrégora de proteção forte de um grupo espiritual, como também é necessário que ela se instrua, através de estudo e preparação, a fim de que aprenda como manter e vibração elevada e a se manter energeticamente e espiritualmente protegida.

Cada caso é um caso. Alguns são mais simples de serem resolvidos, especialmente se forem relacionados com o passado de outras vidas. Digo isso, pois, ao resolvermos na raiz do passado, inibimos as chances de reincidência. Em outros, especialmente quando se trata da vida atual, o opressor pode reincidir no ato e novos desfazimentos e proteções podem ser necessários. Há casos, por exemplo, que as vítimas passam boa parte da vida desfazendo feitiços provenientes de seres humanos encarnados e ressentidos, ou mesmo provenientes de entidades desencarnadas obsessoras (grupos astrais maiores).

Para todos os casos, porém, fé, confiança e oração são atitudes fundamentais, sempre bem-vindas e recomendadas. Ninguém veio nesta vida para sofrer. Se sofremos, algum aprendizado na dor nos está sendo exigido por nós mesmos, pelo nosso Eu Superior. Ao aprendermos o que precisamos, cessamos boa parte do sofrimento, pois passamos a fazer escolhas melhores para seguirmos em paz a nossa jornada evolutiva.

Por isso mesmo o autoconhecimento é fundamental. Aprofunde-se em si mesmo. Conhece-te!

Namastê!
Fernando Vidya

Comentários

comentários

Deixe uma resposta