O tempo não cura nada

O tempo não cura nada

Acreditar que o tempo cura todas as feridas é o mesmo que colocar um pedaço de carne podre dentro de uma gaveta acreditando que resolveu o problema do mau cheiro. O problema não apenas continuará existindo no seu inconsciente como começará a reverberar seu fedor através do seu comportamento, que tende a se modificar no dia a dia para expressar toda a podridão que está lá esperando para ser encarada e limpa de dentro de você.

O tempo é apenas uma ilusão. Só existe o agora. O passado já foi e o futuro ainda não chegou. O agora é o momento que você possui para transformar a si mesmo e a sua vida.

Portanto, se você desejar vomitar algum sapo que ficou engasgado, ou uma memória que você insiste em esquecer, mas que dentro de você grita por atenção, o quanto antes você solucioná-los, melhor para a sua saúde para o seu bem-estar e felicidade.

Muitos traumas, muitas feridas que acumulamos e resolvemos deixar pra lá, colocando “uma pedra em cima”, somente vão agregando dores e dissabores em nós mesmos, deixando-nos mais amargos, mais revoltados, irados. As dores das feridas que continuam a latejar dentro de nós acabam por se expressar em palavras e gestos ríspidos “gratuitamente”. Inconscientemente ferimos o outro para que, ao vê-lo ferido e tão mal quanto nós, nos coloquemos em uma posição não inferior.

Se quiser realmente curar um trauma, uma ferida que você deixou para o tempo resolver, então é necessário encará-lo: encarar a traição, a rejeição, o abandono, a morte… e passar a vibrar o autoamor, promover ações de autocura e procurar ajuda se necessário for para purificar o seu interior, a fim de que as lembranças não mais incomodem e passem a ser apenas memórias que te fizeram mais experiente e sábia(o).

Limpar as feridas dói. Olhar para o trauma dói. E enquanto a lembrança doer é sinal de que ainda não cicatrizou. Curar a si mesmo exige coragem e muita gente não está disposta a enfrentar esse desafio. Porém, enquanto não tivermos essa coragem para olhar pra dentro e perceber o quanto ainda podemos ser frágeis emocionalmente e imaturos, continuaremos a nos fazer de vítimas e apontaremos culpados, julgando seus defeitos, enquanto que somos nós os únicos responsáveis pela nossa alegria e melhora das nossas próprias imperfeições.

Procrastinar a autocura é atrasar a sua felicidade. Priorize a si e ame-se antes de esperar que o outro te priorize e te ame a fim de preencher um vazio que você mesmo criou; um vazio de autoamor.

Namastê!
Fernando Vidya

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

Solicite seu livro autografado!

Clique na imagem e saiba mais.

Fechar Menu